sábado, 13 de fevereiro de 2010

O CARNAVAL DE ISRAEL


“e o povo assentou-se a comer e a beber; depois levantou-se a folgar...alarido de guerra há no arraial. Porém ele respondeu: Não é alarido dos vitoriosos, nem alarido dos vencidos, mas o alarido dos que cantam, eu ouço.” (Ex. 32:6, 17,18).

INTRODUÇÃO

Quem aguçar os ouvidos nestes dias, também ouvirá um grande alarido na cidade. É o alarido do carnaval. A palavra “alarido” tem uma conotação de guerra, como está em I Ts. 4:16 “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressucitarão primeiro.” O Senhor Jesus Cristo descerá do céu com alarido, para pelejar sobre o o monte Sião, contra o anti-Cristo, a quem “desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda.” (II Ts. 2:8). Alguém já disse que toda festa é em homenagem a algum deus, embora as pessoas envolvidas não saibam. A grande multidão que estará participando do carnaval, embora não saiba, estará prestando culto a um deus. Israel, porém, sabia que estava prestando culto a um deus. Depois de quatrocentos anos no Egito, Israel foi aculturado, e o conceito de divindade que eles tinham era politeista. O Egito tinha muitos deuses, e o bezerro de ouro que eles fizeram, era Ápis, um deus egipcio. Jeová, o Deus de Israel jamais foi visto por ninguém, para que não se fizesse uma imagem sua. (Jo.1:18; Dt. 4:15-19). Embora pensasse que estava adorando o verdadeiro Deus, Israel estava adorando um ídolo. Algumas lições:

1. O ADULTÉRIO ESPIRITUAL

“E aconteceu que, chegando Moisés ao arraial, e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se-lhe o furor, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte; E tomou o bezerro que tinham feito, e queimou-o no fogo, moendo-o até que se tornou em pó; e o espargiu sobre as aguas, e deu-o a beber aos filhos de IsraEL.” Em princípio, podemos não entender a atitude de Moisés, com respeito a esse comportamento. Mas a Escritura se interpreta com a própria Escritura, e os textos obscuros devem ser interpretados à luz dos textos claros, que tratam do mesmo assunto. Em Nm. 5:11-31, há uma extensa orientação sobre o ciume do marido, e o adultério(real ou imaginário) da mulher. No verso 24 desse texto preceitua “E a agua amarga, amaldiçoante, dará a beber à mulher,e a agua amaldiçoante entrará nela para amargurar.” É a passagem correlata. Nm. 5 trata de adultério físico, e Ex. 32 trata de adultério espiritual. O primeiro mandamento do Decálogo reza “Não terás outros deuses diante de mim.” (Ex.20; Dt.5). Quando Israel fez festa a Ápis, o deus egipcio, cometeu adultério espiritual, e transgrediu o primeiro mandamento do Decálogo. Pode-se dizer que Israel adulterou na lua-de-mel. A pena para o adultério na lei de Moisés era a morte. “Quando um homem for achado deitado com mulher que tenha marido, então ambos morrerão, o homem que se deitou com a mulher, e a mulher; assim tirarás o mal de Israel.” (Dt.22:22). Por isso Deus disse a Moisés: “Agora, pois, deixa-me, para que o meu furor se acenda contra ele, e o consuma; e eu farei de ti uma gande nação.” (Ex.32:10). Em Tg. 4:4, o N.T. preceitua: “Adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” Em Ex. 32 o rival de Deus é Ápis, aqui é o mundo. Temos, então, que o crente mundano ou mundanizado, está em adultério espiritual. O carnaval é do mundo, e o crente pode participar dele direta ou indiretamente(pessoalmente ou pela televisão). Deus tem ciúmes(Tg.4:5), portanto, ciúme não é pecado, a não ser que seja doentio ou infundado. Mas tem crente que pretende ser mais santo que Deus, não tendo ciúmes.

2. O CASAMENTO ESPIRITUAL

Quando Deus desceu sobre o monte Sinai, na outorga da lei, Ele fez uma aliança com Israel, com toda a nação. Ou seja Deus casou com Israel. As duas tábuas de pedra, escritas com o dedo de Deus, eram a Certidão de casamento. Na primeira tábua estavam os deveres do homem para com Deus, que se resume no mandamento de amar a Deus de todo o coração, alma e mente( corpo, alma e espírito). Na segunda tábua estavam os deveres do homem para com o seu seu próximo, que se resume no mandamento de amar o próximo como a si mesmo. Quando Israel quebrou a aliança, Moisés quebrou as tábuas ao pé do monte Sinai.(Ex.32:19). Ou seja Moisés rasgou a Certidão de casamento. Os crentes do N.T. também casaram com Cristo no Batismo, ou seja fizeram uma aliança no batismo. Na verdade a aliança com Cristo é de noivad o ainda, como José era noivo de Maria.(Mt.1:18). Em II Co.11:2 Paulo preleciona “porque vos tenho preparado para vos apresentar como a uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo.” Quando o homem se batiza, está dizendo sim na cerimônia de casamento com Cristo. Mas o casamento só se completa quando Jesus batiza esta pessoa com o Espírito Santo. Este é o sim da parte dele. Porque Israel foi infiel na aliança, Deus se divorciou dele. Mas no N.T., em Hb.8:8-1, citando Jr.31:31-34, Deus promete casar novamente com “a casa de Israel e com a Casa de Judá”, mas será um casamento com outros termos e com outras condições. Isto está também magistralmente ensinado no livro do profeta Oséias 1-3. O Evangelho é esta nova aliança de Deus com o seu povo, e nós, os discípulos de Jesus, somos os participantes dessa nova aliança. O exemplo negativo de Israel deve nos advertir para não flertar com o mundo, e incorrer em i dolatria e adultério espiritual. O carnaval é uma tentativa do mundo de seduzir a igreja com o seu glamour. Igreja, resista.

CONCLUSÃO

O alarido que se ouve é de guerra espiritual. Satanás guerreia para conquistar a cidade. Se a igreja sair, deixa o campo livre par o inimigo fazer o que é a sua especialidade, matar, roubar e destruir. A igreja deve ficar e guerrear, contrapondo ao louvor mundano oferecido a Satanás, o louvor santo, ao verdadeiro Deus, e a intercessão profética em favor daqueles que “estão sendo levados para a morte, e que vão tropeçando para a matança.” (Pv.24:11).

Um comentário:

maria martins disse...

Shallom!
É bom saber que nessa guerra estou do lado que luta contra satanás.
E mesagens como essa vinda do Trono de Deus nos faz regosijar em Cristo. Porque sabemos que não é fácil dizer não ao banquete do diabo, mas sabemos o que nos espera:CRISTO.
Louvo a Deus por sua vida e por fazer parte de seu rebanho.
Que Deus lhe abençoe.
Pastor Valdi Pedro.