quinta-feira, 17 de julho de 2014

FILHOTES DE ÁGUIA


“Os olhos que zombam do pai ou desprezam a obediência à mãe serão arrancados pelos corvos do vale e DEVORADOS PELOS FILHOTES DA ÁGUIA” – Pv.30:17.

Deus deu ao homem dois livros, que a teologia chama de Revelação Geral e Revelação Especial. A Revelação Especial é a Bíblia, daí Solla Scriptura. Mas, muitas vezes esquecemos de olhar no outro livro, que é a natureza ou a criação. Davi disse “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das  suas mãos.” (Sl. 19:1). Jesus disse “Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem colhem,  nem ajuntam em celeiros; mas vosso Pai celestial as alimenta. Acaso não tendes muito mais valor do que elas?”  e “Olhai como os lírios do campo crescem; eles não trabalham nem tecem; mas eu vos digo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles.” (Mt.6:26, 28, 29). Parece um convite para aprendermos com a natureza, as leis da criação. É sabido que os animais ferozes, predadores, que estão no topo da cadeia alimentar, normalmente, na natureza, não se alimentam de presas mortas, mas, de vivas. O leão (ou a leoa) e outros felinos, se alimentam de presas vivas, bem assim a águia, falcão, gavião. Porém, o abutre, o urubu, o corvo, se alimentam de carniça, ou presas mortas, e bem assim, a hiena. Creio eu, que esses animais são tipos ou figuras de realidades do mundo espiritual. Pedro teve uma visão, na qual viu “o céu aberto e um objeto descendo, como se fosse um grande  lençol, baixado pelas quatro pontas sobre a terra. Nele havia todo tipo de quadrúpedes, animais que rastejam pela terra e aves do céu. E uma voz lhe disse: Levanta-te, Pedro, mata e come.” (At. 10:11-13).

Mas quero me reportar ao texto de II Sm. 18:14,15, que diz “E tomou (Joabe) na mão três dardos , e com eles traspassou o coração de Absalão, estando ele ainda vivo no meio do carvalho. Dez jovens que levavam as armas de Joabe o cercaram,  atacaram a Absalão e o mataram.” Este texto está cheio de tipologia, ensinamentos espirituais. Joabe está no topo da cadeia alimentar. Ef. 6:12 descreve a hierarquia do mundo espiritual, em três categorias, a saber: 1. Principados e Potestades; 2. Dominadores deste mundo Tenebroso;  3. Hostes Espirituais da maldade  nos lugares celestiais. Alguém já dividiu a Guerra Espiritual em: 1. Nível Solo; 2. Nível Tático; Nível Estratégico. 

Os três filhos de Zeruia, sobrinhos de Davi, eram: Joabe, Abisai e Asael.  Joabe era do nível mais elevado, Abisai, do nível intermediário, e Asael, do nível mais baixo, ou solo. Abner era do mesmo nível que Joabe, por isso matou Asael. Mas, voltando ao texto, Absalão é uma figura quase perfeita de Satanás. O filho que se rebelou. É dito dele “Não havia em todo o Israel ninguém que fosse tão admirável pela sua beleza como Absalão; ele não tinha defeito algum desde a planta do pé até o alto da cabeça.” (II Sm.14:25). Lúcifer era “cheio de sabedoria e perfeito em formosura...Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor.” (Ez. 28:12,17). Ap. 12:7,8 “Então, houve guerra no céu: Miguel e seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e seus anjos reagiam, mas estes não prevaleceram e perderam seu lugar no céu.” E no  verso 4 “sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu, lançando-as sobre a terra”. Alguém já se aventurou a dizer, com certa propriedade, que o exército celestial era formado por três esquadrões. Um sob o comando de Miguel, outro sob o comando de Gabriel, e outro sob o comando de Heilel (Lúcifer). Um terço foi o esquadrão de Lúcifer, que aderiu à sua rebelião, e seguiu a sua liderança. No caso de Absalão é dito que “E de Jerusalém foram com Absalão duzentos homens convidados,  porém, iam na sua simplicidade, porque  nada sabiam daquele  negócio.” (II Sm. 15:11). Será que no caso de Lúcifer aconteceu o mesmo? Pode ser, levando-se em conta o seu caráter. Em Apocalipse 20 está escrito: “para que mais não engane as nações” “E sairá a enganar as nações” “E o diabo que os enganava”. (Ap.20:3,8,10). Mas, voltando ao texto, é dito que Joabe “tomou três dardos, e traspassou com eles o coração de Absalão...E o cercaram dez jovens, que levavam as armas de Joabe. E feriram a Absalão e o mataram.” Esses dez jovens representam os discípulos, levando-se em conta a parábola das dez virgens, os dez jovens enviados por Davi a Nabal, os dez filhos de Jó, e outros. Com três dardos no coração de Absalão, esperava-se que ele morresse. Mas a missão de matar Absalão foi dada aos dez jovens que levavam as armas de Joabe. Foram os discípulos que mataram Absalão. Lembre que ave de rapina não se alimenta de presa morta, mas de viva. Porém, a  águia não vai lançar dentro seu  ninho, para seus filhotes, uma cobra totalmente viva, mas, ferida mortalmente, a fim de treiná-los a caçar. Jesus é a águia, e nós seus discípulos, somos os filhotes de águia, e a terra é um grande ninho de águia. Hebreus diz “E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também Ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo.” (Hb.2:14). Apocalipse diz “E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, chamada Diabo e Satanás, que engana todo o mundo. ELE E SEUS ANJOS FORAM LANÇADOS NA TERRA.” (Ap.12:9).  

A terra é um grande ninho de águia. Os discípulos de Jesus são filhotes de águia. Por isso o Espírito Santo disse a Pedro: “Levanta-te, Pedro. Mata e come.”(At.10:13). Satanás foi lançado, ferido, dentro desse ninho, e está cercado de ameaçadores e famintos filhotes de águia, que ameaçam devorá-lo. Mas a situação é perigosa também para os filhotes, pois uma cobra ferida dentro do ninho pode machucá-los, e até matá-los e engoli-los. Por isso Pedro Pedro diz “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.” Se o filhote dormir, tendo uma cobra ferida dentro do ninho, pode ser surpreendido. É claro que a águia mãe (O Espírito Santo), não abandona o ninho, a não ser para caçar pelo território. Mas ao ouvir os gritos dos filhotes (oração), volta veloz, para socorrê-los. A atitude dos filhotes é decisiva. Se eles se encolherem e ficaram com medo da cobra, ela virá para cima deles. Mas se eles, fazendo jus à sua natureza de aves de rapina, de predador, partirem para cima dela,  a cobra fugirá deles. “Sujeitai-vos pois a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” (Tg.4:7). 

Li a história de um filhote de águia que foi criado no meio de galinhas. Pelo condicionamento cultural ele aprendeu a se comportar  como galinha. Mas um dia, um treinador de águias passou por ali e o reconheceu. Depois de várias tentativas, o filhote se convenceu da sua natureza de águia, olhou firmemente para o sol, e voou em sua direção. Somos filhotes de águia dentro de um ninho, com uma cobra ferida, que temos de matar (no sentido espiritual)para nos alimentar dela. A nossa atitude definirá o resultado dessa convivência. “E o Deus de Paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés.” (Rm.16:20).

Um comentário:

Rejane Nascimento disse...

Meu Deus quando a gente acha que Deus não ta vendo, ele vem e confirma tudo, obrigada meu pastor, comigo não, vou vigiar e orar, pois sou filhote de águia e não vou me cansar de buscar atitudes de Deus, o agir do grande Emanuel.
Essa foi direto do trono de Deus.
Te admiro muito meu pastor querido.